Conheça as oficinas confirmadas no VII Congresso Brasileiro dos Engenheiros Sem Fronteiras + II Encontro Latino-Americano de Engenharia e Sociedade, que devido a situação atual e aos desdobramentos ocasionados em decorrência do enfrentamento a COVID-19 será um evento totalmente ONLINE, do dia 14 ao dia 21 de Novembro de 2020, com a temática “A atuação da Engenharia e do Terceiro Setor frente a desastres”


[1] Oficina ministrada por Felipe Alves, fundador núcleo João Pessoa – ESF, com a temática: “Modelo de avaliação de parcerias entre ONGs e Empresas”. (16/11/2020 às 16h)

Sobre o palestrante: Felipe Alves possui graduação em Engenharia de Produção Mecânica na UFPB (2011) e mestrado em Engenharia de Produção na mesma instituição (2018), em gestão estratégica de sistemas produtivos. Durante seu mestrado estudou estratégias colaborativas entre ONGs e Empresas. Além da academia, teve experiências em indústrias e no setor de energia: à gás natural no país e no exterior e eólico no Brasil. Fundador e diretor presidente, durante 2 anos, do Engenheiros Sem Fronteiras – núcleo João Pessoa. Atualmente, trabalha em uma empresa de consultoria socioambiental, com sede em São Paulo e forte vivência em propostas técnicas e comerciais dos projetos da empresa. 

Mini-descrição do conteúdo abordado: Essa oficina é para você que deseja aprender a avaliar de forma quali-quantitativa, o valor criado em uma parceria entre ONGs e empresas. Será apresentado um modelo matemático que avalia variáveis responsáveis pelo sucesso (ou não) deste tipo de parceria. Com base em mais de 50 artigos científicos no tema, o modelo pode ser aplicado pelos gestores destas parcerias, criando um índice de criação de valor (ICV) que ajuda na tomada decisão.

Número de vagas: 150 vagas


[2] Oficina ministrada por Daniela Balbina, Contadora na empresa Daniela Balbina Consultoria, com a temática: “Noções de Contabilidade e Jurídico no Terceiro Setor”(16/11/2020 às 16h)

Sobre o palestrante: Daniela é empreendedora do Setor Contábil na área de capacitação profissional, desenvolvimento e consultoria organizacional, fiscal e contábil. Professora dos Cursos de Master Business of Administration – MBA da Fundação Dom Cabral, com ênfase em projetos de gestão financeira e de custos, gestão baseada em valor e conhecimento. Profissional especializada em contabilidade, controladoria e gestão financeira para Organizações que compõem o Terceiro Setor. Vivência e habilidades de registro, controles, sistemas informatizados, auditoria e prestação de contas de Organizações que realizam atividades educacionais, culturais, de saúde e assistência social. Habilidades para treinamento e capacitação, desenvolvimento e gestão de projetos. Forte experiência em docência, para cursos de contabilidade e administração, adquirida no ensino em cursos de graduação, pós-graduação e livres. Coordenadora do Grupo de Estudos do Terceiro Setor do Conselho Regional de Contabilidade de MG.

Mini-descrição do conteúdo abordado: Serão abordadas noções de contabilidade para não contadores, tributação, normas legais de constituição e funcionamento, governança e controles para uma boa prestação de contas. Tópicos essenciais para um bom gestor de organizações do terceiro setor.

Número de vagas: 150 vagas


[3] Oficina ministrada por Erik Callegaris Costa, Gerente de Relações Acadêmica – Bentley Systems, com a temática: “Gêmeos Digitais – O Impacto da próxima disrupção pós BIM”. (16/11/2020 às 16h)

Sobre o palestrante: Erik é formado em Relações Internacionais pela Universidade Anhembi  Morumbi, integrante da equipe comercial da Bentley Brasil, possui 5 anos de experiência em  desenvolvimento de novos negócios e vendas consultivas, sendo 3 anos dedicados a implementação e a  disseminação de tecnologia de ponta como aporte à transformação digital das universidades e ao  fomento da metodologia BIM no meio acadêmico.

Mini-descrição do conteúdo abordado: Segundo entidades como Gartner, McKinsey, Forbes e Deloitte, os Gêmeos Digitais se apresentam como uma das disrupções mais relevantes dos últimos anos dentre as tendências para as atuais demandas e desafios esperados para o futuro próximo no que tange a infraestrutura mundial; um mercado que, de acordo com AMA Research Institute, deve superar a marca de USD 31.8 Bi até 2025. 

Um Gêmeo Digital (ou Digital Twin), consiste em uma representação digital de um ativo, sistema ou processo físico, bem como a informação de engenharia que nos permite compreender e modelar o seu desempenho.

Tipicamente, um gêmeo digital pode ser sincronizado continuamente de fontes múltiplas, incluindo sensores IoT e levantamentos contínuos através da digitalização de contextos, para representar seu estado mais próximo em tempo real, condição de trabalho ou posição. Ele permite que os usuários visualizem o ativo, verifiquem o status, realizem análises e gerem insights a fim de prever e otimizar o desempenho da infraestrutura durante todo seu ciclo de vida e em toda a sua dimensão (Construção Civil, Transportes, Redes de Saneamento, Cidades Inteligentes, Plantas Industriais, etc).  

Nesta oficina, voltada para engenheiros, arquitetos e profissionais que atuam com operações de infraestrutura, conheça o papel de Gêmeos Digitais, desde a sua conceituação, abrangência e exemplos práticos de aplicação durante as todas etapas do ciclo de vida de ativos de infraestrutura, como forma de ilustrar seu impacto e consolidação enquanto novo modelo de gestão da infraestrutura sustentável que o desenvolvimento da economia global nos demanda na atualidade.   

Número de vagas: 150 vagas


[4] Oficina ministrada por Thayna Meirelles Santos, Sócia-Fundadora da Konekti, com a temática: “COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA desenvolvendo habilidades de comunicação, responsabilidade e autenticidade”. (16/11/2020 às 16h)

Sobre a palestrante: Thayna é educadora e consultora especializada em Empatia, Escuta e Comunicação Não Violenta.  Facilitadora de grupos e de diálogos. Educadora de formação, hoje empreendedora, fundou a Konekti, uma empresa dedicada  a soluções de comunicação, construção de ambientes de confiança e resolução de  conflitos, por meio da empatia, da cooperação, de ferramentas de mediação e da  comunicação não violenta. Além disso, é Doutora em ciências pela Universidade de São Paulo; Mediadora e Facilitadora de  diálogo e construção de consenso, pela fundação Palas Athena; Gestora de conflitos pela  plataforma Mediação Brasil e Facilitadora de processos circulares pela IZA-ADRS.   

Mini-descrição do conteúdo abordado: Serão abordados os elementos fundamentais e as formas de estabelecer conexão propostas pela Comunicação Não Violenta, em busca de criar relações nas quais a autenticidade e o cuidado estão em equilíbrio.

Número de vagas: 150 vagas


[5] Oficina ministrada por Marcos Carvalho, Co-fundador e Propositor Ativo da Organização Manifesta, e por Jamerson Mancio, Propositor Ativo da Organização Manifesta, com a temática: “Saúde e Bem Estar nas Relações Humanas.” (17/11/2020 às 18h)

Sobre os palestrantes: Marcos Carvalho é Bacharel em Ciências Humanas, Pós-Graduado em Pedagogia da Cooperação e Metodologias Colaborativas. Co-fundador e Propositor Ativo da Organização Manifesta. E Jamerson Mancio é Empreendedor Social pelo Programa Guerreiros Sem Armas, Articulador Social, Propositor Ativo na Organização Manifesta.

Mini-descrição do conteúdo abordado: O conteúdo evidenciará a importância e a possibilidade de o fato de termos/buscarmos relações saudáveis pautadas em valores afetivos estar diretamente relacionado ao nosso bem-estar e uma vida mais saudável.

Número de vagas: 90 vagas


[6] Oficina ministrada por Amanda Riesemberg, Sócia cofundadora da BeCause, com a temática: “Marketing Digital no Terceiro Setor”.  (17/11/2020 às 18h)

Sobre a palestrante: Amanda Riesemberg é empreendedora e ativista social. Publicitária de formação, dá voz às causas na BeCause, agência de marketing que desperta o potencial de mobilização social das organizações. Atua como presidente da Nossa Causa, organização que existe para potencializar a atuação de pessoas interessadas em mudar o mundo. É palestrante, vice curadora da comunidade Global Shapers hub Curitiba e está fazendo o MBA em Gestão de Negócios Sociais pela UP.

Mini-descrição do conteúdo abordado: Será abordado o conceito e aplicação de marketing digital no Terceiro Setor, Ciclo PDCA – do planejamento à análise de resultados no marketing, estratégia de canais, construção de autoridade, o que fazer e não fazer na internet e o que muda na pandemia, além disso também terá um  BÔNUS: plano de ação para iniciar agora!

Número de vagas: 150 vagas


[7] Oficina ministrada por Felipe Alves, fundador núcleo João Pessoa – ESF, com a temática: “Elaboração de Orçamentos para projetos sociais”. (17/11/2020 às 18h)

Sobre o palestrante: Felipe Alves possui graduação em Engenharia de Produção Mecânica na UFPB (2011) e mestrado em Engenharia de Produção na mesma instituição (2018), em gestão estratégica de sistemas produtivos. Durante seu mestrado estudou estratégias colaborativas entre ONGs e Empresas. Além da academia, teve experiências em indústrias e no setor de energia: à gás natural no país e no exterior e eólico no Brasil. Fundador e diretor presidente, durante 2 anos, do Engenheiros Sem Fronteiras – núcleo João Pessoa. Atualmente, trabalha em uma empresa de consultoria socioambiental, com sede em São Paulo e forte vivência em propostas técnicas e comerciais dos projetos da empresa. 

Mini-descrição do conteúdo abordado: Como elaborar um orçamento de vendas e/ou execução de projetos socioambientais.

Número de vagas: 150 vagas


[8] Oficina ministrada por Henrique Gonzalez, Co-fundador do Ambiental Pro, com a temática: “Geoprocessamento”. (17/11/2020 às 18h)

Horário: 18:00 às 20:00 (tempo previsto de 1h – 2h a depender da necessidade do ministrante da oficina)

Sobre o palestrante: Henrique Gonzalez é graduado em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, é especialista em Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto para análises ambientais. Além disso, é Sócio-Fundador da Ambiental Pro, uma empresa especializada em conteúdo de Geoprocessamento voltado para prática do mercado de trabalho.

Mini-descrição do conteúdo abordado: Henrique Gonzales irá mostrar como utilizar o Geoprocessamento e o Sensoriamento Remoto para análises ambientais.

Número de vagas: 150 vagas


[9] Oficina ministrada por Victor Feitosa, Mentoring Leader – FRST Falconi, com a temática: “Competências: um olhar sobre o futuro”. (18/11/2020 às 16h)

Sobre o palestrante: Victor Feitosa atua com educação e formação de lideranças há 6 anos, foi líder nacional do Movimento Empresa Júnior, produz conteúdo sobre gestão de pessoas e é responsável pela frente de mentoring na FRST Falconi.

Mini-descrição do conteúdo abordado: De acordo com o Fórum Econômico Mundial, existem 10 competências essenciais que o profissional do futuro (e do presente) precisa desenvolver. Convidamos você a olhar para a sua melhor versão pessoal e profissional!

Número de vagas: 150 vagas


[10] Oficina ministrada por Rodrigo Damasco e Cauê Mendes, fundadores do ELO, com a temática: “Como construir uma estratégia de impacto”. (18/11/2020 às 16h)

Sobre os palestrantes: O ELO existe para impulsionar o melhor das pessoas para a construção de um mundo com mais oportunidades. Nós cumprimos com a nossa missão desenvolvendo organizações estudantis de todo o Brasil. Os fundadores do ELO e palestrantes, Rodrigo e Cauê, tem, ao todo, passagem em mais de 8 organizações estudantis com cargos de liderança em todas elas. Cauê foi da Enactus Unicamp Limeira sendo parte do time de Financeiro e posteriormente Diretor de Captação de Recursos. No Asas Limeira foi Líder de Marketing e hoje é Líder de Negócios Sociais. E Rodrigo foi do Movimento Empresa Júnior sendo Diretor de Gestão da sua EJ e Presidente do Conselho do Núcleo Unicamp. Também é Alumni Enactus. Foi Diretor de Operações do Asas Limeira.

Mini-descrição do conteúdo abordado: Segundo eles, para potencializar o nosso impacto precisamos de uma direção por isso ter uma boa estratégia é um grande passo! Nesse workshop irão ajudar os Núcleos a diagnosticarem suas estratégias e a formularem caminhos que os levem a realizações de grande impacto. Juntos, vamos entender como disseminar um planejamento estratégico e como acompanhá-lo de maneira simples e eficaz.

Número de vagas: 150 vagas


[11] Oficina ministrada por Lucas Torres e Edson Abreu, CEO e Co-fundador Nave à Vela e Diretor Educacional da Reconectta, com a temática: “Hackeando Educação: Como dar mais sentido e escala a projetos educacionais”. (18/11/2020 às 16h)

Sobre os palestrantes: Lucas Torres é Engenheiro Mecatrônico especialista em inovação em serviços e mestrando pela USP, é co-fundador do Caos Focado, uma aceleradora de startups de tecnologia e inovação, e do Nave à Vela, empresa que tem ajudado diversas escolas em uma aprendizagem mais significativa e ligada à criatividade e protagonismo. Edson Abreu é Pós-doutorando pelo Instituto de Estudos Avançados da USP, Consultor da Unesco em Ciências da Natureza e Diretor Educacional da Reconectta.

Mini-descrição do conteúdo abordado:Com base em dois cases de startups educacionais, que usam o conceito de STEAM e de sustentabilidade em escolas, a proposta é discutir sobre como arquitetar projetos educacionais que tenham engajamento, profundidade de conteúdo e consiga ser distribuído para de fato causar impacto. 

Número de vagas: 150 vagas


[12] Oficina ministrada por Gabriel Nardelli, Gerente de projetos de educação e tecnologia do Atados, com a temática: “Criatividade na Educação”. (18/11/2020 às 16h)

Sobre o palestrante: Gabriel tem 30 anos e é pai da Mel de dois anos, que o desperta diariamente para a criação de uma geração mais sonhadora e criativa. É graduado ESPM e se desenvolveu com planejamento criativo em agências de comunicação e live mkt  durante seis anos. Em 2015 migrou  para o terceiro setor, trabalhando no Atados, onde já passou pelas áreas de comunicação e tecnologia, e atualmente é gerente de projetos de educação para impacto social e líder da Rede Tech for Good.

Mini-descrição do conteúdo abordado: Serão trabalhadas técnicas rápidas que vão estimular o desbloqueio criativo dos participantes, resgatando a criatividade original e o prazer em combinar ideias para criar algo novo.

Número de vagas: 90 vagas


[13] Oficina ministrada por Larissa Souza Campos, Cristiano Cordeiro Cruz, Sandra Rufino e Amanda Azevedo, com a temática: “Engenharia Popular”. (20/11/2020 às 14h)

Sobre os palestrantes: Larissa Sousa Campos tem formação em engenharia de produção (graduação e mestrado) e é docente no curso de engenharia de produção da UFV – Campus Rio Paranaíba-MG. Atualmente, está como doutoranda na linha de Estudos Sociais da tecnologia, Trabalho e Expertise na UFMG onde atua como pesquisadora do Núcleo alter-Nativas de Produção, nas áreas de ergonomia e análise do trabalho, com foco no trabalho dos catadores de materiais recicláveis. É membro da Rede de Engenharia Popular Oswaldo Sevá (Repos).

Cristiano Cordeiro Cruz tem formação em engenharia elétrica (graduação e mestrado) e filosofia (graduação e doutorado). Atualmente, está como pesquisador de pós-doutorado no Laboratório de Cidadania e Tecnologias Sociais (LabCTS – www.labcts.org) do ITA, atuando nas áreas de educação em engenharia, engenharia engajada e filosofia da tecnologia. É membro da Rede de Engenharia Popular Oswaldo Sevá (Repos) e da Associação Filosófica Scientiae Studia.

Sandra Rufino tem formação em engenharia de produção (mestrado e doutorado) e em Tecnologias Sociais (pós-doutorado) é docente
de Engenharia de Produção da UFRN. É membro fundadora e coordenadora do Grupo Multidisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão em Projetos de Engenharia e Gestão Aplicados ao Desenvolvimento Ambiental e Social (PEGADAS-UFRN), membro fundadora da Rede de Engenharia Popular Osvaldo Sevá (REPOS), conselheira dos Engenheiros Sem Fronteiras (ESF) Brasil e orientadora do ESF Natal. Atua com Engenharia Popular, Tecnologias Sociais e Economia Solidaria desde 2000.

Amanda Azevendo é Engenheira Civil e Popular, atua desde 2014 junto a diferentes movimentos de luta pela moradia e compõe a Rede de Engenharia Popular Oswaldo Sevá (REPOS). É formada pela Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro e mestranda do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia para o Desenvolvimento Social do Núcleo Interdisciplinar para o Desenvolvimento Social (NIDES/UFRJ). Atualmente, faz parte da coordenação de gestão do Núcleo de Solidariedade Técnica da UFRJ (SOLTEC).

Mini-descrição do conteúdo abordado: A engenharia popular (EP) é uma prática da engenharia (ou de produção sociotécnica em geral) que emerge no Brasil na primeira década dos anos 2000, conjugando três elementos centrais: a economia solidária (e seu ideário solidário e autogestionário); a tecnologia social (e seu horizonte de projeto sociotécnico emancipador e fundado sobre o cuidado e o diálogo de saberes); e a extensão universitária (por meio da qual a maior parte das iniciativas de EP tem sido desenvolvida desde então). Contudo, a EP pode ser dita e praticada de diferentes modos.

Por essa razão, nesta oficina, contaremos com a participação de representantes de três diferentes núcleos de extensão universitária, que apresentarão um pouco de suas respectivas histórias, de seu ideário e de suas metodologias de intervenção. Trata-se do Alter-Nativas (UFMG), Pegadas (UFRN) e Soltec (UFRJ). Em complementação a isso, serão sistematizados e discutidos também alguns dos marcos históricos, conceituais e metodológicos da EP em geral.

Número de vagas: 90 vagas


[14] Oficina ministrada por Tatiane Sant’Ana Coelho Reis, com a temática “Gênero, desenvolvimento e economia solidária em África e na diáspora”. (20/11/020 às 14h)

Sobre a palestrante: Tatiane Sant’Ana Coelho Reis é Mestra em História pela UFRJ, docente da área na educação básica há mais de 10 anos e atualmente leciona no Município de Angra dos Reis. Além disso, foi Delegada da Sociedade Civil do 63rd Comission on the Status of Women (UN Women) em 2019 e tem experiência em pesquisas de diversas temáticas de gênero, inclusive com aproximações com outras ciências humanas. É membro do projeto Social Innovations in Ontario, do Conselho Editorial da Revista África e Africanidades, e ultimamente tem se dedicado a pesquisar sobre mulheres e cooperativas na África Austral.

Mini-descrição do conteúdo abordado: A proposta questiona a fundamentação eurocêntrica do conceito de desenvolvimento a partir os protagonismos femininos nas contribuições intelectuais e organizacionais de comunidades negras da África e da diáspora para a economia solidária. O mini curso será subdividido nas seguintes seções:
a – Economia solidária e questões raciais (Black Social Economy);
b – Comunidades negras, informalidade e protagonismos femininos;
c – Eurocentrismo, populações rurais e questões de desenvolvimento na África Subsaariana;
d – The Banker Ladies: estudo de caso sobre mulheres negras, cooperativas e microfinanças;
No final dessa sessão, participantes poderão compreender o protagonismo de comunidades negras e a multiplicidade englobada pela economia solidária, suas atuações na África Subsaariana e nas Américas e a relevância dos protagonismos femininos no enfrentamento de diferentes problemas socieconômicos.

Número de vagas: 90 vagas


[15] Oficina ministrada em espanhol por Juan David Reina-Rozo, Mariela Machado e Marilynn Holguín Clover, com a temática: “ Tecendo conhecimentos e ações para uma rede latino-americana de Engenharia e Sociedade”. (20/11/2020 às 14h)

Sobre os palestrantes: Juan David Reina-Rozo trabalha na Universidad Nacional de Colombia – uma rede colombiana de Engenharia e Desenvolvimento Social, Mariela Machado e Marilynn Holguín Clover trabalham na Engineering for Change (E4C), um Centro de conhecimento virtual e comunidade internacional em Engenharia para o Desenvolvimento Global.

Mini-descrição do conteúdo abordado: Nas últimas duas décadas, diversos esforços de articulação em torno do compromisso da Engineering com a sociedade foram tecidos em várias geografias da América Latina e do Caribe. Eventos como ENEDS no Brasil e ECIDS na Colômbia estão criando uma comunidade de aprendizado e prática em torno da engenharia comprometida. Redes como REPOS (Brasil) e ReCIDS (Colômbia) expressam a organização de profissionais, pesquisadores e estudantes para a transformação social a partir de uma prática de engenharia plural e comprometida. Assim, “verdadeiros agentes de mudança” podem facilitar e promover a partir da engenharia, o empoderamento e o desenvolvimento social das comunidades rurais e urbanas, unificando esforços transdisciplinares que contribuam para uma nova visão da formação apoiada no ensino, investigação e extensão, através do diálogo do conhecimento e da cocriação.

Com a visão de mapear esta nova forma transdisciplinar de fazer engenharia, Engineering for Change (E4C) ou Engineers for Change, começou em 2018 a compilar informações sobre programas acadêmicos, grupos de estudantes e organizações da sociedade civil que trabalham para alcançar as melhores condições de vida das comunidades através da concepção e implementação de soluções tecnológicas em diferentes regiões do mundo. Neste workshop serão apresentados os resultados das tendências iniciais encontradas na América Latina e as experiências da Rede Colombiana de Engenharia e Desenvolvimento Social. Além disso, será utilizada uma metodologia dialógica que visa gerar articulações de saberes e ações com o objetivo final de fortalecer redes de aprendizagem, compartilhar conhecimentos e ampliar as colaborações na região para avançar neste campo.

Número de vagas: 90 vagas


[16] Oficina ministrada em espanhol por Anahi Chaves, com a temática: “Mujeres STEM: O desafio de se unir e avançar juntas.” (20/11/2020 às 14h)

Sobre a palestrante:

Anahi Chaves é fundadora do movimento “Mujeres por Ingeniería”, uma organização argentina dedicada a promover a igualdade de gênero e melhorar o acesso a ferramentas que aumentem o potencial das mulheres nas áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM). É Consultora e Auditora Técnica em Sistemas de Gestão da Qualidade. É estudante de Engenharia Qúimica e pós-graduanda em “Melhoria do Armazenamento de Energia Termossolar com Nanopartículas” na Faculdade de Engenharia da Universidad Nacional de Jujuy (U.N.Ju). Coordenadora do projeto +STEM para a Agencia I+D+i (Agência Nacional para a Promoção da Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação): Nanofitas reagentes para kit de detecção do SARS-Cov-2

Mini-descrição do conteúdo abordado:

Nessa oficina, Anahi irá apresentar o funcionamento do coletivo e refletir sobre o desafio de se unir e avançar juntas como mulheres em STEM.

Número de vagas: 90 vagas

*O tempo previsto para duração de cada oficina é de 1h a 2h, a depender da necessidade do ministrante da oficina.


Não deixe para garantir o seu acesso ao evento no último momento….

[hurrytimer id=”7722″]


Acompanhe maiores informações do evento em suas redes sociais: