Inicialmente, um grupo de amigos já conversavam sobre a possibilidade de participar de uma ONG com o objetivo de usar as assistências técnicas dos nossos cursos (Engenharia Civil e, Arquitetura e Urbanismo, a princípio) para ajudar Macapá tanto social, quanto ambientalmente. Dois desses amigos, entraram em contato com o André Costa, que estava voltando de uma mobilidade acadêmica na Universidade Federal de Viçosa – MG, onde havia participado do núcleo de lá. Reuniram e acordaram que queriam implantar um núcleo na região Norte, mais precisamente em Macapá – AP e que, para isso, precisariam chamar mais pessoas que fossem compatíveis para os cargos de diretorias, e outros para a organização do nosso primeiro projeto, gerando um total de 9 voluntários para iniciarmos as tarefas de implantação, ainda como núcleo em experiência. A nossa primeira tarefa enquanto equipe, em janeiro de 2019, foi realizar uma ação social no Abrigo de Adolescentes, Lar Betânia, impactando diretamente 22 pessoas. Após isso, a partir de muitas reuniões, alinhamentos as ideias para a implantação de um projeto que seria responsável pela oficialização do nosso núcleo e, principalmente, impactar a nossa cidade. Dessa forma, decidimos implementar o projeto denominado Escola Sustentável, em uma escola pública, hortas sustentáveis em pequenos espaços, divido em duas etapa: a primeira, houve a elaboração de oficinas para crianças de 5° a 6° série do Ensino Fundamental, para ensinar a importância da água, como escolher um local adequado para o canteiro, com a devida incidência solar, incluindo o processo de reciclagem nas nossas escolhas de materiais necessários, assim como, os benefícios da alimentação orgânica para o crescimento saudável das crianças e, quais hortaliças seriam plantadas; a segunda etapa, foi o processo da construção dos canteiros e, finalmente, a plantação, para que os estudantes cuidem e possam usufruir desses alimentos daqui para frente. Esse projeto visa impactar 1000 pessoas direta e indiretamente. Também, realizamos uma ação social no Lar dos Idosos, com a parceria de outros voluntários externos da ONG, gerando impacto direto em 50 pessoas. Em julho vimos a necessidade da elaboração de um Processo para selecionarmos novos membros que somassem na finalização da segunda etapa do projeto Escola Sustentável, tanto quanto com os os que virão, totalizando 21 voluntários. O resultado disso tudo nos tornou núcleo oficial no dia 12 de setembro de 2019. Atualmente, estamos organizados com 5 diretorias, sendo elas: Diretoria Geral e Vice; Diretoria de Comunicação; Diretoria de Projetos; Diretoria de Recursos Humanos; Diretoria Administrativa, Financeira e Jurídica; Coordenador do Projeto Escola Sustentável, Membro de Projeto e, 13 assessores divididos entre as diretorias de Comunicação, RH, Projeto, e AFJ. Ademais, com a determinação e o engajamento do nosso espírito de equipe, temos feito muitas parcerias organizadas por outras instituições com o apoio do Núcleo Macapá. Participações em eventos, parcerias, ações sociais projetos, provem o intuito de gerar através do voluntariado, da sustentabilidade, da engenharia, da educação e muitos outros conceitos, a base para tudo o que fizemos até então, da mesma maneira que são os nossos pilares para os futuros projetos que serão realizados pelos Engenheiros Sem Fronteiras – Núcleo Macapá.

O nosso projeto mais importante até então é a Escola Sustentável que tem como objetivo implementar em uma escola pública, hortas sustentáveis em pequenos espaços, divido em duas etapa: a primeira, houve a elaboração de oficinas para crianças de 5° a 6° série do Ensino Fundamental, para ensinar a importância da água, como escolher um local adequado para o canteiro, com a devida incidência solar, incluindo o processo de reciclagem nas nossas escolhas de materiais necessários, assim como, os benefícios da alimentação orgânica para o crescimento saudável das crianças e, quais hortaliças seriam plantadas; a segunda etapa, foi o processo da construção dos canteiros e, finalmente, a plantação, para que os estudantes cuidem e possam usufruir desses alimentos daqui para frente. Visando impactar 1000 pessoas direta e indiretamente.

A expectativa é gerar impacto direta e indiretamente em aproximadamente 1000, que possam usufruir os produtos orgânicos dessas horta e, consequentemente a saúde e o bem-estar que eles geram, assim como, gerar conscientização da necessidade de implantarmos mais projetos como esses na cidade de Macapá, pois uma cidade sustentável também deve ser uma “cidade comestível” que alimenta a si mesma. As cidades e seus cidadãos enfrentam riscos cada vez maiores de sofrer com a escassez de alimentos. Falhas no fornecimento de água, poluição e dependência do transporte (com emissões de CO2 a ele associadas), para alimentar as populações urbanas são alguns dos fatores que contribuem para esses riscos. Apesar disso, com projetos inovadores de agricultura e hortas urbanas, faz com que a cidade possa alimentar a si mesma, suprindo uma parte considerável da sua necessidade de alimentos e, ao mesmo tempo, gerando sua pegada ecológica. Trazer agricultura para a cidade, é o principal impacto que a Escola Sustentável quer gerar.

Quer saber mais sobre o Núcleo Macapá? Acesse suas redes sociais ou entre em contato através do e-mail danielymonteiro.au@gmail.com

Status: Núcleo Pleno.